Negócio próprio pode gerar renda extra a aposentados

Negócio próprio pode gerar renda extra a aposentados

Foram 42 anos como professora da rede pública e mais dez como diretora de escola. Quando se aposentou em 2013, Cândida Possebon, 74 anos, montou um restaurante, que funcionou por um ano na cidade de Arujá-SP, onde reside. Ainda com muito fôlego para trabalhar, ela se lançou em uma nova empreitada: montou um consultório de coaching – orientação pessoal e profissional.

“Sou muito ativa e não conseguiria ficar parada. Abri o restaurante, mas logo percebi que é um negócio muito desgastante”, lembra Cândida – que, ainda prestes a se aposentar, começou a se interessar por coaching e a ler a respeito. “Fechei o restaurante, fiz um curso para me tornar coach e há dois anos comecei a atender na minha casa, em um espaço improvisado. Alguns meses atrás, decidi profissionalizar essa estrutura e reformei a garagem de casa, que virou meu consultório”.

Cândida faz parte de um universo de 4,2 milhões de aposentados que continuam trabalhando, segundo dados da Secretaria da Previdência. Desses, quatro em cada dez trabalham por conta própria.

Uma pesquisa feita pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) indica que um em cada quatro trabalhadores pretende continuar ativo após se aposentar. Um em cada dez pretende abrir o próprio negócio nos próximos anos. “Ter uma empresa depois de se aposentar é uma das maneiras que o brasileiro tem encontrado para ajudar a pagar as contas e para ter mais conforto”, afirma o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

Ainda segundo a pesquisa, o comércio é o setor mais mencionado. Seis em cada dez trabalhadores que pretendem abrir um negócio próprio depois de se aposentar têm preferência pelas vendas. Já o setor de serviços foi mencionado por 30% dos entrevistados. Dentro do nicho comercial, o ramo preferido é o da alimentação, que foi citado por mais de um quarto das pessoas consultadas.

Mas os especialistas recomendam cautela. O empreendedorismo pode ser a solução para complementar a renda após a aposentadoria, mas é preciso ter muito cuidado e calma na hora de abrir o próprio negócio para não acabar perdendo dinheiro. “Antes de iniciar um negócio, é fundamental buscar capacitação”, orienta o analista Dênis Nunes, do Sebrae. “É necessário ter conhecimento sobre os diferentes aspectos relacionados à gestão e ao desenvolvimento do empreendimento: clientes, fornecedores, parceiros, concorrentes e colaboradores”, afirma Nunes.

 

Cuidados e dicas para se dar bem:

Os cuidados para o aposentado que pretende abrir o próprio negócio são os mesmos indicados para empreendedores de qualquer idade. Saiba o que fazer:

  1. Pesquise: antes de decidir que tipo de negócio que abrir, é preciso pesquisar as oportunidades de mercado;
  2. Descubra seu talento: é primordial que, além de pesquisar o mercado, o aposentado saiba quais habilidades já tem e o que precisa aprimorar;
  3. Estude: buscar capacitação é essencial para ter sucesso na gestão do negócio;
  4. Defina qual será seu diferencial: não se esqueça de pensar no diferencial que seu produto ou serviço deve ter;
  5. Escolha a melhor atividade: o aposentado pode continuar no ramo que já atuava ou mudar completamente. O importante é escolher uma atividade com a qual se identifique;
  6. Pense nos objetivos pessoais: é muito importante escolher um negócio compatível com as suas características e seus objetivos pessoais.

 

O escritório MPA Advogados Associados é especialista na garantia dos direitos dos aposentados. Para acompanhar todas as novidades da área previdenciária, fique de olho aqui em nosso blog!

Fonte: Jornal Agora

No Comments

Post A Comment

× Como posso te ajudar?